Featured Posts

Ossaim é multilado por Orunmilá

Postado por: Alberto Ebomi at 16:07 0 Comentários
Nesta História conta que Ossaim é mutilado por Orunmilá, onde Ossaim vivia numa guerra não declarada contra Orunmilá, procurando sempre enganá-lo, preparando armadilhas, para transtorno do velho.

Ossaim - Ossain - Osanhe - Osain - Osanha - Ossayin - aroni - Orixá - Orisa - orisha - candomblé - lukumi - santeria

Um dia Orunmilá foi consultar Xangô para descobrir quem seria aquele inimigo oculto que o atormentava.

Xangô aconselhou-o a fazer oferendas.

Devia oferecer doze mechas de algodão em chamas e doze pedras de raio (edum ará), e se isso fosse feito, seria desvendado o segredo.

Ao iniciar o ritual, Orunmilá invocou o poder do fogo. No mesmo momento, Ossaim  andava pela mata procurando novamente algo para enfeitiçar Orunminlá.

Ossaim foi surpreendido por um raio, que lhe mutilou o braço e a perna o cegou de um olho.

Orunmilá seguiu para o local onde se via o fogo e ouviu gemidos do aleijado. A o tentar ajudar a vítima, encontrou Ossaim, descobrindo por fim quem era seu misterioso inimigo.

Mais sobre Ossaim:


Inrilé é acusado de roubar cabras e ovelhas

Postado por: Alberto Ebomi at 20:28 0 Comentários
Inrilé é acusado de roubar cabras e ovelhas, ele viveu em Ijebu viveu era caçador (Odé),   ele era generoso e imbatível na caça, por isso era admirado pela maioria da população.
Mãe havia alguns moradores que invejavam o Orixá Erinlé e que conspiravam para arruinar o caçador, famoso pela caça de elefantes e de outros animais. Decidiram roubar cabras e ovelhas do rei e culpar Erinlé.

inrile - inle - ode - oxossi - orixa - orisha - orisa - candomblé - osha - santeria

O rei intimou quem soubesse algo sobre o roubo a dizê-lo. Os conspiradores foram até o rei fazer a acusação.

Disseram que Erinlé roubava cabras e ovelhas, escondia as peles em casa e dizia que as carnes eram de animais selvagens. 0 rei intimou Erinlé, houve um julgamento e os inimigos de Erinlé testemunharam contra ele.

O rei quis ouvir a defesa de Erinlé.  Houve testemunhos a favor dele.  Diante do impasse, o rei ponderou que Erinlé (Inle) parecia ser de fato um grande caçador, mas teria que provar sua inocência.

Erinlé disse (Oxossi):

 

"Minha caça falará por mim.
Minha caça será minha testemunha".
Erinlé foi até sua casa e trouxe coisas para o rei.
Erinlé trouxe as peles dos animais selvagens que havia caçado. Presas de elefantes e de javalis, peles de gamos, veados e antílopes.

Então o rei reconheceu a inocência de Erinlé e ordenou que ninguém mais tocasse no assunto.
Erinlé foi para casa, inocentado, porém triste.
Erinlé nuncá se conformou com a acusação que sofrera, Erinlé pensava e não entendia a razão de tentarem desgraçá-lo. Não quis mais caçar nem comer com os seus
.
Em momentos de desespero fustigava o próprio corpo com a sua chibata de cavaleiro, seu bilala. Imaginava que seria acusado novamente caso  acontecesse outro roubo de animais.

Erinlé perdera completamente a vontade de caçar. Então entrou na água de um rio próximo e partiu de Ijebu, onde nunca mais foi visto. E se tornou o orixá do rio. Erinlé (Odé) agora é o rio. O rio Erinlé é Erinlé, o orixá caçador que já não caça.

Mais sobre Oxossi:

 

 

 

 

A história de Ossain imita um pássaro e casa com a filha do rei

Postado por: Alberto Ebomi at 21:36 0 Comentários
Assim conta a história de Ossaim onde ele imita um pássaro e casa com a filha do rei. A lenda conta que um rei decidiu então casar a sua filha mais velha. Então o Rei determinou que daria em casamento ao pretendente que adivinhasse o nome de suas três filhas.

Então logo o Orixá Ossaim aceitou o desafio. À tarde, Ossaim saiu sorrateiro por trás do palácio. Então Ossayin subiu no pé de Obi e se escondeu entre seus galhos.

ossain - ossae - ossayin - orixá - lenda - historia - candomblé - orisha - orisa - ewe - folhas - cantos

Foi quando então as três princesinhas saíram para brincar, foram surpreendidas por um canto que vinha daquela árvore, era o canto de pássaro irresistível, de um passarinho das matas de Ossaim.
Mas o canto era de Ossaim, imitando o pássaro.

O passarinho brincou com as três princesas e conseguiu assim saber o nome delas.
Aió Delê, Omi Delê e Onã Inã, eram estes os nomes das filhas do rei.
Sua esperteza havia dado certo.

No dia seguinte Ossaim foi ao rei e declamou a ele o nome das princesas. Orixá Ossaim então casou-se com a mais velha.
Sua esperteza havia dado certo. Ossaim desde então é identificado com o pássaro.

Quer saber mais História de Ossain?

 

Aroni – Amigo de Ossain

 

Ossain vingou-se de seus pais por o deixarem nú

 

Oriki de Ossãe Yoruba com Tradução e Áudio

 

Ossayin dá uma folha para cada um dos Orixás

 

Oxóssi é raptado por Ossain

 

Reza de Ossain (Oriki)

 

Exu Orixá ajuda um homem a trapacear

Postado por: Alberto Ebomi at 20:45 0 Comentários
Conta a Lenda que Exú Orixá ajuda um homem a trapacear, havia um homem que falava horrores de tudo e de todos. Um dia o rei tomou ciência desse seu hábito e o intimou a depor.

Diante do rei, o homem não só confirmou todas as coisas que vivia a dizer como também acrescentou mais um desaforo: se o rei quisesse ver do que ele era capaz, que mandasse plantar em duas covas sete inhames assados e, dentro de doze dias, os inhames brotariam e dariam folhas.
Tudo isso deveria ser feito na presença de todos.

Exú orixá

Todos estavam ansiosos em presenciar o prodígio e o rei marcou a data para o desafio.
O homem, então, para se safar daquela situação difícil, procurou um adivinho, que o aconselhou a fazer um Ebó.

Tudo pronto, veio Exu e ambos combinaram a estratégia para o caso. Foram juntos para o local onde estavam plantados os inhames. Quando estavam próximos de lá, Exú Orixá, que ia na frente, chamou a atenção dos guardas para uma coisa jamais vista: todos, de fato, viram bois trepados no telhado de um curral.

Enquanto isso, o homem pôde mudar os inhames assados, trocando-os por inhames que brotavam, sem que nenhum guarda visse o que ele fazia.

Assim, sua promessa pareceu estar cumprida diante do pois que os guardas atestaram que os inhames assados haviam brotado sem a interferência de ninguém.
Por isso, o homem foi gratificado pelo rei e por todos, tornando-se muito rico.

Mais sobre Exú Orixá

Oriki de Exú Orixá (reza, saudação)

 



Este Oriki do Orixá Exú é utilizado para saudar este Orixá nas horas de suas obrigações, oferendas, pedidos, agrados e etc.

Omulu ganha as pérolas de lemanjá

Postado por: Alberto Ebomi at 10:35 0 Comentários
Conta a lenda que Omulu foi salvo por lemanjá quando sua mãe, Nanã Burucu, ao vê-lo doente, coberto de chagas, purulento, abandonou-o numa gruta perto da praia, Yemanjá recolheu Omulu e o lavou com a água do mar.

O sal da água secou suas feridas. Omulu tornou-se um homem vigoroso, mas ainda carregava as cicatrizes, as marcas feias da varíola.

omolu, obaluaiê, sapatá, xapanã,  jagun, orixá, orisa, orisha, santo, umbanda, candomblé

Orixá Ylemanjá confeccionou para ele uma roupa toda de ráfia. E com ela ele escondia as marcas de suas doenças. Ele era um homem poderoso. Andava pelas aldeias e por onde passava deixava um rastro ora de cura, ora de saúde, ora de doença. Mas continuava sendo um homem pobre.

Yiemanjá não se conformava com a pobreza do filho adotivo. Ela pensou:

"Se eu dei a ele a cura, a saúde, não posso deixar que seja sempre um homem pobre".

Ficou imaginando quais riquezas poderia dar a ele. lemanjá era a dona da pesca, tinha os peixes, os polvos, os caramujos, as conchas, os corais.

Tudo aquilo que dava vida ao oceano pertencia a sua mãe, Olocum, e ela dera tudo a Iemanjá.  Iemanjá resolveu então ver suas Tinha algumas, mas enfeitava-se mesmo era com algas.

Ela enfeitava-se com a água do mar, vestia-se de espuma. Ela adornava-se com o reflexo de Oxu, a Lua. Mas Iemanjá tinha uma grande riqueza e essa riqueza eram as pérolas, que as ostras fabricavam para ela. Iemanjá, muito contente com a sua lembrança, chamou Omulu e lhe disse:

"De hoje em diante, es tu quem cuidas das pérolas do mar Serás assim chamado de Jeholu, o Senhor das Pérolas"

Por isso as pérolas pertencem ao  Orixá Omulu. Por baixo de sua roupa de ráfia, enfeitando seu corpo marcado de chagas, Omulu/Obaluaê ostenta colares e mais colares de pérola, belíssimos colares.

Características de Omolu


  • Seu Dia da semana: segunda-feira
  • as suas Cores: preto, vermelho e branco
  • o seu Símbolo: Xaxará (um tubo de palha trançada com sementes mágicas e segredos dentro).
  • Númerologia: 13
  • Comida (adimu): pipoca
  • Saudação: Atotô! (veja abaixo o Oriki completo de Omolu)
  • Odu regente: Odí (leia sobre o Odu Odí)
 

Mais sobre o Orixá Omolu:


Rezas de Omolu / Obaluaiê

Reza para Oxum: Audio + letra e tradução

Postado por: Alberto Ebomi at 23:46 0 Comentários
Reza (adura) para Oxum (orixá) em yoruba com a tradução para português retirada da Roda de Oxun, lindo cântico e muitos fundamentos. Aprecie, aproveite o vídeo com a letra e o significado da Cantiga (orin), utilizada dentro do culto ao orixá, Candomblé, mas não na Umbanda.

reza, oro, orin, cantico, oxum, osun, oxun, oshun, adura

Letra da reza para Oxum em Yoruba


Ìyá mi ilê oro, Ìyá mi ilê oro,
Ìya gbogbo àse ìya mi s’ara má ààbò é é é;
Ìyá mi ilê oro.

Tradução da Reza


Minha mãe da casa sagrada, minha mãe da casa sagrada,
Mãe que tem todo axé, minha mãe dará proteção para todas as pessoas;
Minha mãe da casa sagrada.
  
Ìyá a pòn, a tajú èrú e tòn.
Ìyá a pòn omo rè. Ìya a pòn
Olódò mi ó ìyá mi ó ìyá re,
Ìyálóòde  abèbè.
Olódò mi ó Ìyá ó ìyá re,
Ìyálóòde  abèbè.

Mãe que nos carrega nas costas, olhamos surpresos vossa carga e vossa luz.
Mãe que nos carrega, vossos filhos, mãe que nos carrega.
Minha senhora do rio, minha mãe, ó mãe da felicidade,
Primeira dama da alta sociedade com seu leque.

Ìyá mi ilê oro, Ìyá mi ilê oro,
Ìya gbogbo àse ìya mi s’ara má ààbò é é é;
Ìyá mi ilê oro.

Minha mãe da casa sagrada, minha mãe da casa sagrada,
Mãe que tem todo axé, minha mãe dará proteção para todas as pessoas;
Minha mãe da casa sagrada.

Dìde, dìde, dìde mo jí, má mo júbà àse,
Dìde, dìde, dìde mo jí, má mo júbà àse.
A máa ké  jó, ò sa móló iló,
Oní  Kéke gbóòmi ké èdá
E mo jí mi má ààbò yè òòsà
Mo láayè yè, mo wí ló, ní mo wí l’olà,
Ìyá mi Olójú, Olómu Eléèdá.  

Levante, levante, levante, eu acordo e sempre pedirei sua benção e seu axé.
Levante, levante, levante, eu acordo e sempre pedirei sua benção e seu axé.
Sempre grito e danço, ela escolhe quem fica sobre seu domínio e o usa.
Senhora que em silencio oferece água acalentando as criaturas.
Senhora eu acordo e terei vida e proteção do orixá.
Tenho vida e sobrevivo. Eu digo que terei boa saúde
Minha mãe e guardiã, senhora da amamentação e senhora da criação.

Ìyá mi ilê oro, Ìyá mi ilê oro,
Ìya gbogbo àse ìya mi s’ara má ààbò é é é;
Ìyá mi ilê oro.

Minha mãe da casa sagrada, minha mãe da casa sagrada,
Mãe que tem todo axé, minha mãe dará proteção para todas as pessoas;
Minha mãe da casa sagrada.

Vídeo do Cântico da reza para Oxum




Você gostou da Adura (reza) do Orixá Oxum com letra e sua respectiva tradução? Compartilhe, o Candomblé, a religião estão nas mãos dos religiosos, faça sua parte.  

A filha do Orixá Oxum - Osun

Postado por: Alberto Ebomi at 12:56 0 Comentários
A filha do Orixá Oxum (Osun) e sua lenda como conta a história que havia um indivíduo que era AWÓ NI ORUNMILÁ e os sábios os aconselharam que ele iria ver um pleito, lio ou tragédia. Que não se metesse e que não poderia averiguar o que havia acontecido, já que isto poderia prejudicá-lo muito.
Também disseram que não fosse avarento e que jamais levantasse a mão a uma mulher e muito menos a uma filha de Oxum/ Osun.

Este AWÓ (sacerdote) era desobediente, esquecido, caprichoso e só fazia o que ele tinha vontade e não dava importância do que lhe diziam.

a filha de oxum

Um dia teve um problema em sua casa e saiu.

Estando sentado perto de um jardim, tratando de organizar seus pensamentos para ver que caminho ia seguir, se sentou ao seu lado uma jovem de boa aparência feminina e ambos começaram uma conversa agradável, onde ele contou a ela o momento pelo qual estava passando e a jovem o convidou a ir em sua casa.

O AWÓ então, se lembrou dos conselhos dos sábios e lembrou também que ante a uma situação assim como esta, teria que fazer alguns sacrifícios e oferendas e teria que fazer também na moça, mas não o fez.

Tudo ao princípio ia saído muito bem, mas aconteceu que um dia tiveram uma grande discussão e ele levantou a mão para a moça, golpeando-a de uma forma ruim e em seguida viu o mal que havia feito e saiu de casa e foi para a Casa de seu padrinho, quem o consultou com IFÁ e lhe disse que tudo isso era devido a sua desobediência e que a ele queriam tombar e que se não queria se perder, teria que agir rápido.

O padrinho (Sacerdote de Ifá) lhe fez os sacrifícios (Ebó) necessários que antes havia indicado IFÁ e mandou buscar a jovem e também lhe fez a mesma coisa e lhe entregou IKOFÁ (a iniciação da mulher em IFÁ) e lhe disse que a partir daquele momento deveria se cuidar das ciladas e armadilhas da vida e que tão breve possa fizesse uma oferenda a Oxum.

A filha de Oxum


O AWÓ (babalawo) assim fez como o indicado e novamente voltou a reinar a paz e a tranquilidade. A moça era filha de Oxum – Oshun.

Cânticos de Oxum


 

Mais sobre Oxum

  • Seu Dia da semana: sábado
  • As cores Cores: amarelo-ouro
  • Número: 5
  • Símbolo: Abebê (espelho)
  • Oferendas (adimu): Ipetê (feijão fradinho com camarão) Saudação: Ora ieieu, Oxum!
  • Folhas (ewe): oriri, colônia, folha régia.
  • Odu regente: oxeturamalé

Os filhos de Oxóssi (Odé) e suas características

Postado por: Alberto Ebomi at 15:40 0 Comentários
Os filhos de Oxossi (Odé)  e uma de suas características apresentam arquetipicamente atribuídas deste Orixá. Representa o homem impondo sua marca sobre o mundo selvagem, nele intervindo para sobreviver, mas sem alterá-lo.

Os filhos de Oxossi são geralmente pessoas joviais, rápidas e espertas, tanto mental como fisicamente. Tem portanto, grande capacidade de concentração e de atenção, aliada à firme determinação de alcançar seus objetivos e paciência para aguardar o momento correto para agir.



 

Características de Oxossi

  • Dia da semana: terça-feira
  • Cores: azul e verde (azul pela relação com o ar – no lançamento das flechas – e verde pelas matas).
  • Símbolo: Ofá (arco e flecha)
  • Elemento: ar e terra
  • Número: 3
  • Comida: milho e coco
  • Saudação de Osoosi: Okê Aro, Oxossi!
  • folhas: espinho cheiroso, alecrin, folha da jaqueira
  • odu regente: Obará
  • Qualidades de Oxossi: Inle, Akueran, Iboalamo 
  • Rei da nação Ketu do Candomblé 

Os Filhos de Oxossi (Odé)

 

Fisicamente, os filhos de Oxossi, tendem a ser relativamente magros, um pouco nervosos, mas controlados. São reservados, tendo forte ligação com o mundo material, sem que esta tendência denote obrigatoriamente ambição e instáveis em seus amores.

No tipo psicológico a ele identificado, o resultado dessa atividade é o conceito de forte independência e de extrema capacidade de ruptura, o afastar-se de casa e da aldeia para embrenhar-se na mata, afim de caçar. Seus filhos, portanto são aqueles em que a vida apresenta forte necessidade de independência e de rompimento de laços. Nada pior do que um ruído para afastar a caça, alertar os animais da proximidade do caçador.

Assim os omo Odé (filhos de Oxossi) trazem em seu inconsciente o gosto pelo ficar calado, a necessidade do silêncio e desenvolver a observação tão importantes para seu Orixá. Quando em perseguição a um objetivo, mantêm-se de olhos bem abertos e ouvidos atentos.

Sua luta é baseada na necessidade de sobrevivência e não no desejo de expansão e conquista. Busca a alimentação, o que pode ser entendido como sua luta do dia-a-dia. Esse Orixá é o guia dos que não sonham muito, mas sua violência é canalizada e represada para o movimento certo no momento exato. É basicamente reservado, guardando quase que exclusivamente para si seus comentários e sensações, sendo muito discreto quanto ao seu próprio humor e disposição.

Os filhos de Oxossi, portanto, não gostam de fazer julgamentos sobre os outros, respeitando como sagrado o espaço individual de cada um. Buscam preferencialmente trabalhos e funções que possam ser desempenhados de maneira independente, sem ajuda nem participação de muita gente, não gostando do trabalho em equipe. Ao mesmo tempo , é marcado por um forte sentido de dever e uma grande noção de responsabilidade. Afinal, é sobre ele que recai o peso do sustento da tribo.

Os filhos de Oxossi tendem a assumir responsabilidades e a organizar facilmente o sustento do seu grupo ou família. Podem ser paternais, mas sua ajuda se realizará preferencialmente distante do lar, trazendo as provisões ou trabalhando para que elas possam ser compradas, e não no contato íntimo com cada membro da família. Não é estranho que, quem tem Orixá Oxossi como Orixá de cabeça, relute em manter casamentos ou mesmo relacionamentos emocionais muito estáveis.


Os filhos de Oxossi - Odé - Oshosi - Ososi - Osoosi - inle - akeran - ketu

Quando isso acontece, dão preferência a pessoas igualmente independentes, já que o conceito de casal para ele é o da soma temporária de duas individualidades que nunca se misturam. Os filhos de Oxossi, compartilham o gosto pela camaradagem, pela conversa que não termina mais, pelas reuniões ruidosas e tipicamente alegres, fator que pode ser modificado radicalmente pelo segundo Orixá.

Gostam de viver sozinhas, preferindo receber grupos limitados de amigos. É portanto, o tipo coerente com as pessoas que lidam bem com a realidade material, sonham pouco, têm os pés ligados à terra.
São pessoas cheias de iniciativa e sempre em vias de novas descobertas ou de novas atividades. Têm o senso da responsabilidade e dos cuidados para com a família. São generosas, hospitaleiras e amigas da ordem, mas gostam muito de mudar de residência e achar novos meios de existência em detrimento, algumas vezes, de uma vida doméstica harmoniosa e calma.

O tipo psicológico, do filho de Odé (caçador) é refinado e de notável beleza. É o Orixá dos artistas intelectuais. É dotado de um espírito curioso, observador de grande penetração. São cheios de manias, volúveis em suas reações amorosas, multo susceptíveis e tidos como “complicados”. É solitário, misterioso, discreto, introvertido. Não se adapta facilmente à vida urbana e é geralmente um desbravador, um pioneiro. Possui extrema sensibilidade, qualidades artísticas, criatividade e gosto depurado. Sua estrutura psíquica é muito emotiva e romântica.
Artigos populares
Culto afro brasileiro
Site Criado para divulgar a religião do Candomblé e a Umbanda, falando sobre Orixás, Entidades, Caboclos, Ifá, Cultura Afro-brasileira, para que os seguidores de nossa tão linda religião cada vez mais se enrriqueça de sabedoria e cultura. Axé para Todos!!!

Licença Creative Commons
Obra de divulgação, não deve ser comercializada de nenhuma forma. Não é permitido copiar artigos do blog sem a devida autorização do autor.

back to top