Featured Posts

Histórias dos Orixás - Exú a Oxalá

Postado por: Alberto Ebomi at 14:17 0 Comentários
Conhecendo as Histórias dos Orixás de Exú a Oxalá, contando um pouco de cada Lenda (iton / pataki) para um melhor conhecimento dos Deuses do Candomblé, elas estarão completas as histórias dos Orixás apontando para da cada santo com o resumo de sua história.

Entre as Histórias dos Orixás estão a de Exú, Ogum, Oxóssi (Odé), Ossain, Omolu / Obaluaiê, Nanã, Iroko, Oxumarê, Yewá, Oxum, Logun Edé, Xangô, Yansã, Yemanjá, Obá, Oxalá, Oxalufan, Oxaguian.

histórias dos Orixás - lendas dos Orixás - iton - pataki - contos - relatos



Histórias dos Orixás


  • Orixá Exú
1 - Exu coloca fogo na casa e vira rei:
Conta a histórias dos Orixás que o Orixá Exú coloca fogo na casa e vira rei, o iton (história) diz que um dia mandaram Exu preparar um ebó para conseguir fazer fortuna bem depressa. Então logo percebemos que só poderá conseguir a prosperidade mediante Ebó (oferendas), e assim Bara Exú fez o que lhe foi determinado. Exu, depois de ter feito o ebó', foi para...

2 - Exu causa o conflito entre Yemanjá - Oyá e Oxum

Essa Lenda conta que Exú causa o conflito entre Yemanjá, Oiá e Oxum mostrando quão importante é o culto à este Orixá, não podendo ser esquecido ou deixado de lado em quaisquer obrigação ou culto dentro do Candomblé (culto ao Orixá). Lenda que Exú causa o Conflito entre os Orixás Yemanjá, Oyá e Oxum Um dia, foram juntas ao mercado...


  • Ogum
1 - A morte teme Orixá Ogum: Por que ele é tão Poderoso?

Conta a histórias dos orixás que o Orixá Ogum venceu a morte e mostrou que supera Ikú em poder e em maldade pois para obter vitória destrói tudo e todos sem dó nem pena, onde mostra por que Ogum é tão poderoso. Ojuani Meji resolveu vir a terra e Ifá falou que teria que dar um cabrito para Exú (Elegúa) para que a Morte (Ikú) e a sua esposa...

2 - Orixá Bará Exú aprende a trabalhar com Ogum:

Conta o patakin que o Orixá Bará Exú aprende a trabalhar com o Orixá Ogum, pois Eleguá era um menino muito esperto, mas muito travesso. Todo mundo tinha receio de suas artimanhas. Ele enganava todo mundo, queria sempre tirar sua vantagem. Sua mãe sempre o repreendia e o amarrava no portão da casa para ele não ir para a rua...


1 - Lenda que Oxóssi quebra o tabu e é paralisado com seu Ofá:

Conta a histórias dos Orixás (Lenda) Orixá Oxóssi quebra o tabu e é paralisado com seu (Ofá) arco e flecha, Oxóssi caçava todo dia, todo dia ia à mata (igbo / floresta) em busca de caça. mas tinha dia em que tudo era proibido, inclusive caçar. Por esse tabu (ewó) as mulheres não vendiam no mercado, os homens não cultivavam os campos, os pescadores...

2 - Oxóssi é raptado por Ossain

Nessa lenda Oxossi é raptado por Ossain o senhor das folhas, e o Orixá Oxóssi (Odé) vivia com sua mãe Yemanjá e com seu irmão Ogum (o guerreiro). Ogum cultivava o campo e Oxóssi trazia caça das florestas. A casa de Iemanjá era farta. Mas Iemanjá tinha maus pressentimentos e consultou...


1 - Obaluaiê salva o filho do Orixá Oxalá

Em uma das Histórias dos Orixás conta-se que em uma terra chamada MINA POPO Oxalá mandou seu filho ensinar sua religião, mas antes de partir, este não foi consultar-se com ORUNMILÁ. Ao chegar ali teve grandes dificuldades e por saber o que deveria de fazer para vencê-las, teve que ir se refugiar num pântano e ali se encontrou com ELEGUÁ que mandou...

2 - Sapatá (Omolu/Obaluaiê) é proibido de viver junto com os outros orixás

Conta a Lenda que o Orixá Sapatá (Omolu/Obaluaiê) é proibido de viver junto com os outros orixás Quando viviam na Terra, os orixás tinham uma convivência fraterna. Eles se divertiam e celebravam. A vida prosseguia e era boa. Um ano, no tempo da colheita de batata-doce, os orixás realizaram um festival.


  • Ossain
1 - Ossain vingou-se de seus pais por o deixarem nú:

Em uma das histórias dos Orixás fala que Ossain vingou-se de seus pais por o deixarem nú. Quando o Orixá Ossaim nasceu, seus pais não lhe deram roupa alguma, de modo que ele foi criado andando sempre nu. Ossaim foi crescendo e com ele seu ressentimento. Logo que pôde, Ossaim fugiu de casa, embrenhando-se na floresta, onde podia esconder sua nudez, cobrindo...

2 - Aroni – Amigo de Ossain - lenda:

Conta a lenda que Aroni (amigo e parceiro do orixá Ossain), o verdadeiro encantador das folhas (Ewe) e das porções mágicas feita por Ossain. Comanda as folhas medicinais e litúrgicas, chamadas de folha sagrada, que são utilizadas numa mistura especial chamada de abô. Muitas vezes, é representado com uma única perna.


1 - Oxumarê transforma-se em cobra para fugir de Xangô

O iton (pataki) que conta que o Orisha Oxumarê (Bessen) magicamente se transforma em Dan (cobra) para fugir do Orixá Xangô que o aprisionou para ter os poderes para si. Oxumarê era um rapaz muito bonito e invejado e suas roupas tinham todas as cores do arco-íris e suas joias de ouro e bronze faiscavam de longe.

2 - Oxumarê se tornou rico ao fazer Ebó:

O Orixá Oxumarê também conhecido como Bessen era o babalaô (pai dos segredos) da corte de um rei que, embora fosse rico e poderoso, não pagava bem seu sacerdote, que vivia na pobreza. Em um certo dia, Oxumarê foi até ifá e perguntou. Ifá o eu devo fazer para ter mais dinheiro?


  • Nanã
1 - NANÃ BURUKU ESPANTA ORIXÁ OGUM

A igbà NANÃ BURUKU, dona das nascentes de água doce, vivia entre os lírios de água de pálidas cores, nenúfares e outras belas plantas enriquecidas com a humildade que ela despendia. Um belo dia, quando repousava entre as canas bravas olhando como as aves brincavam no cristalino ambiente, sentiu um grande tremor e ouviu um barulho.

2 - A Personalidade dos Filhos do Orixá Nanã Buruku


  • Yewá
1 - Ewá foi expulsa de casa e vai viver no cemitério:

Conta a Lenda (iton) que o Orixá Ewá foi expulsa de casa para viver no cemitério (Ilê iku) Yewá era filha de Obatalá e vivia com o pai em seu palácio. Era uma jovem linda, inteligente e casta. Orisha Yewá á nunca havia demonstrado interesse por homem algum.

2 - YEWÁ  Orixá da Inocência)

Nestas histórias dos Orixás temos Orixá Ewá ou Yewá poderemos conhecer um pouco mais sobre esta yaba, pois pouco se sabe sobre o orixá Yewá. Ela também é filha de Nanã, e é vista como horizonte, o encontro do céu com a terra, do céu com o mar...


  • Iroko
1 - Iroko e seus fundamentos:

Como Exú, Iroko carrega para longe os fluídos maléficos (espíritos ruins e todas as negatividades). Quando manifesta-se os fiéis jogam sobre ele os fluídos que querem se livrar e ele corre para fora do barracão para atirar no mato todo o mau. As vezes bebe tanto que cai no chão.

2 - CONHEÇA MAIS SOBRE IROKO

Orixá Iroko ou Yroko pouco cultuado no candomblé, mais um orixá muito respeitado pelos africanos, sendo um santo que representa a ancestralidade. Iroko representa o tempo. É a árvore primordial. A primeira dádiva da terra (Oduduwa) aos homens. Existe desde o princípio dos tempos e a tudo assistiu...


1 - Xangô rouba a mulher de Ogum Yansã:

Em uma das histórias do Orixás conta que o Orixá Xangô rouba a mulher de Ogum (Yansã), Xangô um dia cansou-se da monotonia da corte e partiu em busca de novas aventuras.
Chegou a cidade de Irê, onde morava o Orixá Ogum, nobre guerreiro, senhor da forja,  Ogum vivia com lansã, senhora dos ventos e das tempestades.

2 - Xangô criador do Culto a Egungun:

Conta a Lenda que o Orixá Xangô é o fundador do culto aos Eguns (espíritos ancestres), somente ele tem o poder de controlá-los, como diz um trecho de um Itã (lenda/história), escute no final do texto a Roda de Xangô completa: Qualidades do Orixá Xangô Xangô criador de Culto a Egungun "Em um dia muito importante, em que os...


1 - Yansã-Oyá e os Chifres utilizados no culto ao Orixá:

Esta Lenda de Iansã/Yansã contará como os chifres de búfalo vieram a ser utilizados no ritual do culto Orixá de Oià-Iansã e Ogum acabou descobrindo seus segredos.

Ogum foi caçar na floresta. Colocando-se à espreita, percebeu um búfalo que vinha em sua direção. Preparava-se para matá-lo quando o animal, parando subitamente, retirou a sua pele. Uma linda mulher apareceu diante de seus olhos, era Iansã.



2 - Iansã Onira – Oiá Onira:

A "Iansã Onira" é uma Iansã (Oiá Orixá) com algumas características diferentes do padrão do Orixá Yansã, como por exemplo o fato de ela se dar muito bem com Oxum, e até mesmo as cores Próprias - como são suas mais clarinhas e suaves, com tons de azul e rosa, coral e amarelo muitas vezes, diferente das cores fortes de Iansã como o vermelho....


  • Oxum
1 - Oxum nasce de Yemanjá e é curada por Ogum:

Conta a lenda que o Orixá Oxum nasce de Yemanjá e é curada por Orixá Ogum, Oxum foi a primeira filha de lemanjá, Mas sua concepção foi bem difícil. Como Yemanjá não conseguia engravidar, foi aconselhar-se com os adivinhos (os babalawo de Ifá) com o Oráculo de Ifá. Eles a mandaram levar ebó no rio a cada cinco dias. Ao rio...

2 - Ogum e Oxum:

Ogum e Oxum são dois orixás distintos por natureza, mas é muito comum dentro do culto sobre os Orixás encontrarmos pessoas (filhos de Orixás) com uma cabeça de Oxum com Ogum. Ogum é o fogo, ferro, a dureza costuma-se se dizer que Ogum é aquele ou aquilo que é imaleável (que não se pode dobrar), já sobre Oxum é totalmente diferente,...


  • Logum Edé
1 - Logun Edé devolve a visão a Erinlé:

Conta a Lenda que Orixá Logun Edé devolve a visão ao Orixá Erinlé, após quebrar um tabu com as mães ancestre Iyamim Oxorongá (as feiticeiras, ou bruxas). Logum Edé era um faceiro caçador. Erinlé o conheceu e foram caçar juntos. Eram filho e pai, mas um do outro não sabia. Logum Edé era muito sedutor e Erinlé se apaixonou por ele....



2 - Historia de Logum Ede: Roubou os segredos de Oxala:

Nesta Histórias dos Orixás   onde Logum Edé roubou os Segredos De Oxalá Conta a História onde o Orixá Logum Edé era um caçador solitário e infeliz, mas orgulhoso (filho de Oxossi) e Oxum (mãe). Era um caçador pretensioso e ganancioso, e muitos os bajulavam pela sua formosura. Um dia o Orixá Oxalá conheceu Logum Edé e o levou para viver em sua...


  • Yemanjá
1 - Yemanjá é violentada por Seu Filho Bara Exú:

Yemanjá tinha vários filhos orixás e um deles era Bara Exú, seu filho, se encantou por sua beleza e tomou-a a força, tentando violentá-la. Uma grande luta se deu, e bravamente entre filho (Bara Exú) e a mãe Yemanjá que resistiu à violência do filho que, na luta, dilacerou os seios da mãe. Enlouquecido e arrependido pelo que fez,...



2 - Yemanjá e a Deusa da nação Egbe:

emanjá é a Deusa da nação de Egbé, nação esta Iorubá onde existe o rio Yemojá (Yemanjá). No Brasil, rainha das águas e mares. Orixá muito respeitada e cultuada é tida como mãe de quase todos os Orixás Iorubanos, enquanto a maternidade dos Orixás Daomeanos é atribuída a Nanã. Por isso à ela também pertence a fecundidade. É protetora...


  • Orixá Obá
1 - Obá é a terceira Mulher de Xangô:

Orixá OBÁ foi a terceira mulher de Xangô. Orixá reverenciado dentro do Culto Afro brasileiro (Candomblé). Obá era uma mulher cheia de vigor e coragem. Faltava-lhe, talvez, um pouco de charme e refinamento. Mas ela não temia ninguém no mundo. Seu maior prazer era lutar. Seu vigor era tal que ela escolheu a luta e o pugilato como profissão....



2 - Quem é Orixá Óbá na verdade?

Esta é filha de Obatalá e Yembó, irmã de Oyá e Yewá, amante de Xangô e por ele cortou uma de suas orelhas e por isso se viu exilada, logo foi para o monte e posteriormente viveu na solidão do cemitério. Também teve um envolvimento com Ogum, a quem lhe entregou a bigorna e este lhe ensinou a guerrear. Oba é um Orixá...


  • Oxalá / Obatalá
1 - Obatalá provoca a inveja e é feito em mil pedaços:

Conta nessa histórias dos Orixás que Obatalá (Oxalá) provoca a inveja e é feito em mil pedaços, pois como conta o iton, Obatalá foi ao mercado e comprou um escravo. Pôs o escravo trabalhando em sua terra. O escravo trabalhou duro e a terra floresceu (prosperou). Então Orisha Obatalá ficou muito feliz. Todos ficaram com inveja...



2 - Ajagunã destrói palácios para o povo trabalhar:

O Orixá Ajagunã, o filho guerreiro de Oxalá (Obatalá), destrói palácios para o povo trabalhar andava junto com o Orixá Ogum fazendo a guerra pelo mundo. Onde Ogum destruía uma cidade, Ajagunã construía outra maior e mais próspera. Conquistavam para seu povo todos os campos de inhame e todas as riquezas em ouro e escravos.


No site temos muitas Histórias dos Orixás!



Depois de conhecer o resumo de apenas algumas das histórias dos Orixás, não podemos deixar de escutar o Xirê para todos eles:


Xirê de todos Orixás de Exu à Oxalá


Èsù e Orunmilá são muito amigos - Lenda

Postado por: Alberto Ebomi at 20:12 0 Comentários
 Èsù e Orunmilá são muito amigos, como conta nesta lenda e veremos a grande importância do Orixá Exú e Orunla dentro de toda espiritualidade.


A figura de Èsù é sempre representada nas bandejas (Ọpọn) yorùbá de adivinhação, é um símbolo da forte amizade entre Èsù e Orunmilá (Personal communication, May 2011 [com Fatokun Morakinyo].


Esu e Orunmilá - Orunla - Ifá - Exú - Eshu - Bara - Candomblé - Orixá



De acordo com O.I. Posogon e A.O. Akande em ( Ifá Divination Trays from Isale-Oyo).
- Está associação fica evidente no Odù Ogbè ‘fún.

  •     A narração do Odù é esta:

Ogbè devolva o que foi mantido sob sua custódia para o proprietário.


Não, eu não vou devolvê-lo.


A mesma adivinhação foi realizada para Èsù e todas as outras divindades que eram seus amigos.

Ele também fez adivinhação para Orunmilá e Èsù que eram amigos.

Segundo a história, um dia Èsù pensou que ele era o mais sábio entre todas as divindades. Ele tinha colocado todos eles em teste e todos falharam. Somente Orunmilá ainda não tinha sido testado.

Ele, portanto, decidiu aplicar em Orunmilá seu próprio teste.

Ele foi ao mercado e comprou um macaco (aaya). Ele amarrou o macaco com uma corda frágil. Depois disso, ele foi até Orunmilá com o macaco e perguntou a Orunmilá se ele poderia ajuda-lo a manter o macaco por um tempo, porque ele (Èsù) queria embarcar em uma longa viagem que levaria sete dias.

Orunmilá aceitou manter o macaco, mas pediu a Èsù para amarrá-lo a uma árvore na frente de sua casa. Èsù assim fez e saiu imediatamente.

Orunla rapidamente consultados Ifá para saber a intenção de Èsù. Ifá pediu-lhe para executar um sacrifício, com muitas bananas. Ele deveria levar o sacrifício em uma densa floresta. Orunmilá fez. Depois de concluído o sacrifício, ele descobriu que o macaco tinha arrebentado a corda e fugido.

Não muito tempo depois desta descoberta, Èsù voltou e informou a Orunmilá que ele já não iria mais viajar, ele, portanto, exigiu seu macaco de volta.

Orunmilá disse-lhe que o macaco tinha fugido. Èsù ficou furioso e começou a chorar. Orunla sabia que haveria problemas se ele não encontrasse o macaco. Levariam sete dias até as lágrimas de Èsù caírem no chão e uma vez que as lágrimas caíssem na frente da casa de Orunmilá, não haveria paz dentro e fora da casa de Orunmilá novamente.

Orunla rapidamente consultou o oráculo. O oráculo disse a Orunmilá para voltar onde ele largou o sacrifício e que neste mesmo ponto ele iria encontrar o macaco. Quando Orunmilá chegou ao ponto onde (na floresta), ele havia deixado o sacrifício, ele encontrou o macaco comendo as bananas. Ele pegou o macaco e o levou de volta para casa e entregou a Èsù.

Exú e Orunmilá


Orixá Exú ficou surpreso, pois, Orunla havia encontrado seu macaco e sair desta situação embaraçosa. Ele soube que havia uma divindade que poderia desmanchar sua intriga. A partir deste dia, ele prometeu ajudar Orunmilá em todos os seus empreendimentos. Desde então se tornou uma tradição a figura de Èsù fixada na principal posição da bandeja de adivinhação.


Èsù é indispensável na adivinhação, no ebo e na iniciação de cerimônias. Èxù Òdàrà é considerado o "pai" de todos os Èsù e representa a fertilidade, bem como a transformação. Conforme expresso pelo Áwo Falokun Fatunmbi:

Ifá está baseado no entendimento do Odù. Em Odù aprendemos que Èsù Òdàrà (O Mensageiro Divino), nasceu no Odù Òsétúrá. Exú Odará significa:


  • Espirito que traz divisão e é a fonte da fertilidade do universo.


Como fonte de fertilidade, Èsù tem o àse que abre a possibilidade para o Áwo ser possuído por todos os òrìsà, é desta forma que o Áwo pode se comunicar com todos os Orixás.

Por este motivo Èsù é chamado de Mensageiro Divino e é o décimo sétimo na ordem de antiguidade hierárquica. Ele é o primeiro Odù após os méjì.

Em Itelodu ele é invocado na cabeça do iniciado após os méjì. Isso faz os Odù méjì copularem na cabeça do iniciado no momento em que ele se torna Áwo (dai Èsù ser o símbolo da fertilidade). O processo libera os 256 Odù no Orí do Áwo dando o òfò àse (poder da palavra) para poder invocar e fazer òrìsà, desbloqueando a capacidade de um Áwo ser tomado por todos os òrìsà.

Este é o lugar aonde Èsù como "mensageiro divino da transformação" vem. Além disso, agora podemos entender por que Oxum é "mãe" de Èsù. A deusa da fertilidade gera a fonte de fertilidade. O que isto significa para os níveis cosmogônicos e metafísica é uma discussão dentro e de si mesma.

Há uma história sobre como Èsù e Orunmilá se tornaram tão bons amigos (Itọn - Histórias - são utilizados para explicar princípios metafísicos, bem como ensinar ética, história e iluminar a cultura).

Dia da semana de todos Orixás e suas Cores

Postado por: Alberto Ebomi at 11:29 0 Comentários
O Dia da Semana de todos os Orixás do Candomblé e suas cores,  para fazer suas oferendas para o Orixá do dia com suas preces, agrados, rezas, obrigações e todos os fins dos santos.

O primeiro Orixá e não poderia ser diferente, pois ele é o primeiro em tudo, como contam diversas lendas deste Orixá, onde conquistou o direito de comer primeiro, sempre ser reverenciado, etc.


dia da semana de todos orixás - dia dos orixás - orixá do dia



Os dias da semana de todos Orixás



Orixá Exú – Mensageiro dos orixás, leva oferendas e trás as bênçãos de volta.
  • Saudação: Laroyê Exú! Kobá laro Exú.
  • Cores: vermelho e preto
  • Dia da semana: Segunda-feira


Ogun – O orixá da luta, representa a conquista e o desenvolvimento.
  • Saudação: Ogunhê
  • Cores: azul, verde
  • Dia da semana: Terça-feira

Oxóssi ou Odé– O orixá caçador, representa a fartura, foi rei de Ketu.
  • Saudação: Okê arô! Arolê!
  • Cores: verde, azul
  • Dia da semana: Quinta-feira


Omolu/Obaluaê – O orixá da terra, medicina, senhor da varíola
  • Saudação: Atotô!
  • Cores: marrom, cor palha
  • Dia da semana: Segunda-feira


Ossaim – O orixá das plantas
  • Saudação: Ewê ô! Assa!
  • Cores: verde e branco com lista vermelha
  • Dia da semana: Quinta-feira


Nanã Buruku – a mais velha dos orixás, primeira esposa de Oxalá, deusa da morte
  • Saudação: Saluba Nanã!
  • Cores: lilás, roxo
  • Dia da semana: Domingo


Oxumaré/Bessen – O orixá da riqueza representado pelo arco-íris e pela cobra
  • Saudação: Arroboboi Oxumarê!
  • Cores: amarelo e verde
  • Dias da semana: Terça-feira


Ewá/Yewá– Dona da Pureza – Mora no Cemitério
  • Saudação: Ri Ro Ewá!
  • Cores: vermelho Vivo, Coral e Rosa
  • Dia da semana: sábado


ORUNMILÁ – Testemunha do Destino
  • Saudação: ORUNMILÁ IBORU, ORUNMILÁ IBOYA, ORUNMILÁ IBOSHESHE!
  • Cores: verde, amarelo, branco
  • Dia da semana: Em 4 de Outubro é o dia de ORUNMILÁ


Os Ibejis (Erês – Crianças)
  • Dia da semana: domingo e segunda-feira para nações Ketu e Jeju Jexá;
  • Cor:azul , rosa, verde, mas na verdade gosta do colorido em si.
  • Saudação: Omi Beijada! Bejiróó! farami sóibeji!.


Logun Edé – O caçador filho de Oxum e Oxóssi
  • Saudação: Loci Loci Logun!
  • Cores: amarelo e azul
  • Dia da semana: Quinta-feira


Yansã / Oyá– Senhora dos ventos e tempestades
  • Saudação: Epahey Oyá!
  • Cores: marrom e vermelho
  • Dia da semana: Quarta-feira


Xangô – O rei de Oyó – Alafin – Orixá da justiça
  • Saudação: Kao Kabiesilê!
  • Cores: vermelho e branco, marrom e branco
  • Dia da semana: Quarta-feira


Oxum – Orixá do dinheiro, delicadeza, vaidade, amor, da fertilidade e maternidade
  • Saudação: Ora yê yê ô! O fide
  • Cores: amarelo
  • Dia da semana: Sábado


Iemanjá – Senhora dos Rios que desaguam no Mar
  • Saudação: Odò ìyá!
  • Cores: prata e branco
  • Dia da semana: Sábado


Obá – orixá dos ventos e redemoinhos
  • Saudação: Obá Xiré Yá!
  • Cores: rosa, coral
  • Dia da semana: Quarta-feira


Irokô – O orixá do Tempo – É representado por uma árvore
  • Saudação: Iroko y Só! Eeró!
  • Cores: branco, cinza
  • Dia da semana: Terça-feira


Oxalá/Oxaguiã/Oxalufã / Obatalá– O orixá funfun, pai do branco e de todos Orixás
  • Saudação: ÈPA BÀBÁ !
  • Cores: Branco
  • Dia da semana: Sexta-feira



Calendário de todos Orixás datas comemorativas


Os melhores pontos de Exú Caveira

Postado por: Alberto Ebomi at 22:15 0 Comentários
Os melhores pontos de Exú Caveira tocado em cantada com a letra dos pontos em uma gira na Umbanda, são muitos pontos de Tata Caveira. Uma Entidade muito prestigiada com suas particularidades, trabalha com as falanges das almas, mora no cemitério, suas oferendas levam ossos de animais, gosta de cachaça, velas entre outras coisas.

Sua saudação é Laroiê Exú Caviera, salve as almas. Gosta do preto, escuridão ou pouca luz, sua força está no alto da madrugada, entre 01:00hs e 4:00 da matina, é uma entidade simples, você consegue muito com ele as vezes com apenas 1 vela, mas sua contagem é 9 que representa os Eguns (espírito), também trabalha na Kimbanda.

Os melhores pontos de Exú Caveira- tata caveira- joão caveira- exu das almas- umbanda - candomblé - kimbanda

Em nosso canal do Youtube AlbertoEbomi do site Juntos no Candomblé tem pontos para todos os Exús, Pomba Giras, Caboclos, Orixás em ketu com letra e tradução, Rezas e Orikis dos orixás, mas este artigo é exclusivo para os pontos de Exú Caveira. Inscreva-se e ajude a combater a ignorância e intolerância religiosa.

Os melhores Pontos de Exú Caveira


  • Ê Caveira
    Firma seu ponto
    Na folha da bananeira
    Ê Caveira
    Firma seu ponto
    Na folha da bananeira

  • Quando o galo canta é madrugada
    Um Exú na encruzilhada, batizado com dendê
    Eu rezo uma oração sempre pra frente
    Ela quer ver se a chama é quente
    Ele é Exú alaroê
    Eu ouço a gargalhada do diabo
    Exú Caveira é o enviado
    Do príncipe lucífer

  • É ele quem comanda o cemitério
    Catacumba tem mistério
    Seu feitiço tem axé

  • EH PUERÊ
    EH PUERÁ [2X]
  • OLHA MOSCA VAREJEIRA
    SALVE EXÚ CAVEIRA [2X]

Mais Pontos de Exú Caveira

 


  • Exu Caveira comedor de carne crua
    Espera o seu la no meio da rua,
    Exu Caveira comedor de carne crua
    Espera o seu la no meio da rua.

  • Portao de ferro cadeado de de madeira
    O dono da calunga ainda é o exu caveira
  • Exu Caveira comedor de carne crua
    Espera o seu la no meio da rua
    Pois o seu povo te chamou pra trabalhar,
    Exu Caveira comedor de carne crua
    Espera o seu la no meio da rua.

  • Soltaram uma bode preto
    Meia noite na calunga,
    Ele correu os quatro canto,
    Foi parar lá na porteira.
    Bebeu marafo com Tata Caveira.

JOÃO CAVEIRA

  • Moço, vou lhe apresentar,
    Vou lhe apresentar,
    Um espírito de luz,
    Para lhe ajudar,Oi moço! (bis)

  • Ele é João Caveira,
    Ele é filho de Omulú,
    Quem quiser falar com ele,
    Alubandê Exu. (bis)
 

Estarei atualizando o artigo com novos pontos de Exú Caveira deste e outros Exus assim que possível, então não deixe de se inscrever no site para acompanhar sempre as novas atualizações.

Áudio com letra dos Pontos de Exú João Caveira



Gostou dos Pontos de Exú Caveira?! Então leia mais sobre :

Obaluaê quem é este Orixá?

Postado por: Alberto Ebomi at 21:06 0 Comentários
Obaluaê  quem é este Orixá? ( "rei", "senhor da terra"), deus originário do Daomé. Obaluaê é uma flexão dos termos Obá (rei) - Oluwô (senhor) - Ayiê (terra), "rei, senhor da terra". Omulu também é uma flexão dos termos: Omo (filho) - Oluwô (senhor) que quer dizer "filho e senhor".

Obaluaê, o mais moço, é o guerreiro, caçador, lutador. Sendo Omulu, o mais velho, é o sábio, o feiticeiro, guardião. Porém, ambos têm a mesma regência e influência, significam a mesma coisa, têm a mesma ligação e são considerados a mesma força da natureza.

Obaluaê é o sol, a quentura e o calor do astro rei, é o senhor das pestes, das doenças contagiosas ou não. É o rei da terra, do interior da terra, e é o orixá que cobre o rosto com o Filá (de palha da Costa), porque para os humanos é proibido ver o seu rosto devido à deformação feita pela doença, e pelo respeito que devemos a esse poderosíssimo Orixá.

Está no funcionamento do organismo, na dor que sentimos pelo mau funcionamento dos órgãos, por um corte, queimadura ou traumatismo. A ele devemos a nossa saúde. Trata do interior, mas cuida também da pele e de suas moléstias.

Divide com Oia-Iansã a regência dos cemitérios, pois é o orixá que vem como emissário de Oxalá (princípio ativo da morte), para buscar o espírito desencarnado.

É ele que vai mostrar o caminho, servir de guia para aquele espírito. Obaluaê também é o senhor da terra e das camadas do seu interior, para onde vamos todos nós. Daí sua ligação com os mortos, pois é ele quem vai cuidar do corpo sem vida. (Também conhecido como Xapanã).

Obaluaê - Omolu - Obaluaiê - Obaluwaiê - sapata - xapana - jagun - ajunssun - opanijé - orixá - candomblé - umbanda

Obaluaê está presente no nosso dia-a-dia, quando sentimos dores, agonia, aflição, ansiedade. Está presente quando sentimos coceira e comichões na pele.

Rege também o suor, a transpiração e seus efeitos. Rege aquele que tem problemas mentais, perturbações nervosas e todos os doentes. Está presente nos hospitais, casas de saúde, ambulatórios, clínicas, sempre próximo aos leitos. Rege os mutilados, aleijados, enfermos. Ele proporciona a doença, mas principalmente a cura, a saúde. É o orixá da misericórdia.
Rege a má digestão, a congestão estomacal. Gera o ácido úrico e seus efeitos.

Obaluaê é Filho de Nanã, que o abandonou por ser doente, foi criado por Iemanjá. Orixá fundamentalmente Jeje, mas louvado em todas as nações por sua importância. Conta-se que, abandonado por Nanã, foi cuidado por Iemanjá que o alimentava com pipoca sem sal acrescida de mel para melhorar o gosto, e passava azeite de dendê em suas feridas para aliviar a dor e coceira.


Tudo sobre Obaluaê  (Omolu)

  • dia da semana -   segunda-feira
  • cores -   preto, branco, vermelho
  • símbolos - cajado (xaxará), búzios.
  • elemento -   terra
  • plantas - cuféia (sete sangrias), erva-de-passarinho, canela de velho, quitoco. Zínia, cravo de defunto.
  • animais -   cachorro
  • metal- chumbo, barro
  • comida -  pipoca, bife acebolado, bolinhos de milho, acaçá, olubajé. Banana da terra. 
  • bebida -  água, vinho tinto 
  • sincretismo -  São Lázaro (17.12) e São Roque (16.8). 
  • domínio -  a terra, as epidemias, a morte. 
  • o que faz -  castiga com doenças, mas também cura os males. 

  • quem é -  o Médico dos Pobres e o Senhor dos Cemitérios.
  • características -  reservado, solitário, simples, trabalhador, serviçal, depressivo, doentio.
  • quizília -  claridade, sapos 

  • saudação de Obaluaê - Atotô!

  • Onde arriar as oferendas  - no cemitério (geralmente no Cruzeiro). 
  •  
  • riscos de saúde -  doenças de pele e problemas nas pernas e coluna. 
  • presentes prediletos  -  velas, charutos, suas comidas e bebidas preferidas. (Oferendas de Obaluaê
  • observação -  o nome de Obaluaê às vezes é usado especificamente para o Omolu jovem, que é mais agressivo; Omolu é o nome mais usado para o Omolu velho, mais introvertido.

Lendas e Histórias de Obaluaê:

(1)   Por causa do feitiço usado por Nanã para engravidar, Omolu nasceu todo deformado.

Desgostosa com o aspecto do filho, Nanã abandonou-o na beira da praia,para que o mar o levasse. Um grande caranguejo encontrou o bebê e atacou-o com as pinças, tirando pedaços da sua carne.

Quando Omolu estava todo ferido e quase morrendo, Iemanjá saiu do mar e o encontrou. Penalizada, acomodou-o numa gruta e passou a cuidar dele, fazendo curativos com folhas de bananeira e alimentando-o com pipoca sem sal nem gordura até que o bebê se recuperou. Então Iemanjá criou-o como se fosse seu filho.

(2) Omolu tinha o rosto muito deformado e a pele cheia de cicatrizes. Por isso, vivia sempre isolado, se escondendo de todos.

Certo dia, houve uma festa de que todos os Orixás participavam, mas Ogum percebeu que o irmão não tinha vindo dançar. Quando lhe disseram que ele tinha vergonha de seu aspecto, Ogum foi ao mato, colheu palha e fez uma capa com que Omolu se cobriu da cabeça aos pés, tendo então coragem de se aproximar dos outros.

Mas ainda não dançava, pois todos tinham nojo de tocá-lo. Apenas Iansã teve coragem; quando dançaram, a ventania levantou a palha e todos viram um rapaz bonito e sadio;e Oxum ficou morrendo de inveja da irmã.

(3)   Quando Obaluaê ficou rapaz, resolveu correr mundo para ganhar a vida. Partiu vestido com simplicidade e começou a procurar trabalho, mas nada conseguiu.

Logo começou a passar fome, mas nem uma esmola lhe deram. Saindo da cidade, embrenhou-se na mata,onde se alimentava de ervas e caça, tendo por companhia um cão e as serpentes da terra. Ficou muito doente.

Por fim, quando achava que ia morrer, Olorun curou as feridas que cobriam seu corpo. Agradecido, ele se dedicou à tarefa de viajar pelas aldeias para curar os enfermos e vencer as epidemias que castigaram todos que lhe negaram auxílio e abrigo.  

Obaluaê Na África

O nome em iorubá Obàlúwàiyé é traduzido por (rei e senhor da terra), Oba (rei) aiyê (terra), Obaluaiyê, Obaluaê, Xapanã, Omolu, são alguns dos nomes como é conhecido esse Orixá africano.

Os orixás Nanã (cujo emblema é o Ibiri) e seus filhos Obaluaiyê (cujo emblema é o Xarará) e Oxumaré (cujo emblema é uma cobra) pertencem ao Panteão da Terra.

  Nomes de Obaluaê

Obàluáyê "Rei senhor da Terra", Omolu "Filho do Senhor", Sapata "Dono da Terra" são os nomes dados a Sànpònná (um título ligado a grande calor o sol - também é conhecido como (Babá Igbona = pai da quentura) deus da varíola e das doenças contagiosas, é ligado simbolicamente ao mundo dos mortos.

Outra corrente os define como: Obàluáyê: Obá - ilu; aiye; Rei, dono, senhor; da vida; na terra; Omolu; Omo-ilu; Rei, dono, senhor; da vida. (Qualidades de Obaluaê)  
  • Dança
Sua dança o Opanijé (cuja tradução é: ele mata qualquer um e come), dança curvado para frente, como que atormentado por dores, e imitam seu sofrimento, coceiras e tremores de febre.
  • Emblemas de Obaluaê
     
      Tem como emblema o Xaxará (Sàsàrà), espécie de cetro de mão, feito de nervuras da palha do dendezeiro, enfeitado com búzios e contas, em que ele capta das casas e das pessoas as energias negativas, bem como "varre" as doenças, impurezas e males sobrenaturais. Esta representação nos mostra sua ligação a terra. Na Nigéria os Owo Érindínlogun adoram Obàluáyê e usam, no punho esquerdo, uma tira de Igbosu (pano africano) onde são costurados cauris esó (búzios).
     
  • Vestimenta
A vestimenta é feita de ìko, é uma fibra de ráfia extraída do Igí-Ògòrò, a palha da costa , elemento de grande significado ritualístico, principalmente em ritos ligados a morte e o sobrenatural, sua presença indica que algo deve ficar oculto.

É composta de duas partes o "Filá" e o "Azé", a primeira parte, a de cima que cobre a cabeça é uma espécie de capuz trançado de palha-da-costa, acrescido de palhas em toda sua volta, que passam da cintura, o Azé , seu asó-ìko (roupa de palha) é uma saia de palha da costa que vai até os pés em alguns casos, em outros, acima dos joelhos, por baixo desta saia vai um Xokotô, espécie de calça, também chamado "cauçulú", em que oculta o mistério da morte e do renascimento.

Nesta vestimenta acompanha algumas cabaças penduradas, onde supostamente carrega seus remédios. Ao vestir-se com ìko e cauris, revela sua importância e ligação com a morte (iku).  


Festa (Olubajé)
 
A festa anual é o Olubajé (Comida do rei senhor). São feitas e distribuídas no mínimo nove iguarias da culinária afro brasileira (comida ritual), seus "filhos" devidamente "incorporados" e paramentados oferecem aos convidados e assistentes, em folhas de mamona (ilará) ou bananeira (aguede), no sentido de prolongar a vida e trazer saúde .



Tido como filho de Nanã, no Brasil, sua origem, forma, nome e culto na África é bastante variado, de acordo com a região, essa variação de nomes é de conformidade com a região, Obàluáyê/Xapanã em Tapá (nupê) chegando ao território Mahi ao norte do Daomé;

Sapata é sua versão fon, trazido pelos nagôs na cidade de Savalu, Benin. Em alguns lugares se misturam, em outros são deuses distintos, confundido até com Nànà Buruku; Omolu em ketu e Abeokuta.

Seu parentesco com Oxumaré e Iroko é observado em Ketu (vindo de Aise segundo uns e Adja Popo segundo outros), onde pode se ver uma lança (oko Omolu) cravada na terra, esculpida em madeira onde figuram esses três personagens superpostas, também em Fita próximo de Pahougnan, território Mahi, onde o rei Oba Sereju, recebera o fetiche Moru, três fetiches ao mesmo tempo Moru (Omolu), Dan (Oxumare) e seu filho Loko (Iroko).

Zé Pelintra: Os melhores Pontos Cantado e Letra

Postado por: Alberto Ebomi at 15:47 2 Comentarios
Os melhores pontos de Zé Pelintra cantado e com letra para o Exú Malandro que é conhecido como Seu Zé, Zé Pelintra, Pilintra, Malandrinho um Exú que viveu a margem da lei, entidade da religião da Umbanda, mas tem sua adoração em casas de Candomblé.

Esses pontos são bem típicos desta entidade, pois não se costuma cantar para outros Exús e Pomba Gira, ele é muito singular. Uns dizem que Zé Pelintra ele não é Exú de Umbanda, pois se trata de um espírito (Egun).

Zé Pelintra - Os melhores pontos com audio e letra cantados na umbanda

Aqui no site temos vários artigos sobre Zé Pelintra.

 

Os melhores Pontos de Zé Pelintra:

 

1 - Ponto de Zé pelintra


O morro de Sta. Teresa está de luto porque o malandro morreu!
O morro de Sta. Teresa está de luto porque o malandro morreu!
Ele chorava por uma mulher
Ele chorava por uma mulher
Ele chorava por uma mulher que não lhe amava!

2 - Ponto Zé pelintra

Bravo, senhor, bravo
Seu Zé Pilintra chegou

Ele matou pai, matou mãe
Matou padrinho e madrinha
Matou um cego na estrada
E um aleijado na linha

Deu uma blitz no morro a policia vem aí   (2x)
Malandro que é malandro se escondeu lá na figueira   (2x)
Olha ele aí, olha ele aí   (2x)

As quatro da madrugada, ela me acorda e eu não quero nada (bis)
Mas qualquer dia eu quebro esse seu despertador,
mas trabalhar eu não vou.
Mas quando eu venho descendo o morro.

A NEGA PENSA QUE EU VOU TRABALHAR [2X]
MAS EU BOTO MEU BARALHO NO BOLSO, MEU CACHECOL NO PESCOÇO
E VOU PRA BARÃO DE MAUÁ [2X]

TRABALHAR , TRABALHAR
TRABALHAR PRA QUE?
SE EU TRABALHAR EU VOU MORRER [2X]

8– PONTO DE MALANDRO

Estava sentado no muro
Fumando um bagulho a policia chegou
Joguei o bagulho pro alto
Sai no pinote e ninguém me pegou
Houve tiroteio, houve confusão
Parou na porta um camburão

9- PONTO DE MALANDRO

Se a rádio patrulha chegasse aqui agora
Seria uma grande vitória
Ninguém poderia correr
Agora que eu quero ver
Quem é malandro não pode correr

Os melhores Pontos de Zé Pelintra



Você gostou do vídeo? Tem algum ponto para adicionar a nossa lista de pontos, deixe nos comentários. Não se esqueça de se inscrever em nosso Canal com Cânticos da Umbanda, e Cantigas de Candomblé (Orixás).

Pomba Gira Rainha do Cruzeiro: Umbanda

Postado por: Alberto Ebomi at 20:16 0 Comentários
Essa é a história da Pomba Gira Rainha do Cruzeiro, entidade esta da Umbanda, há quem confunda a Rainha do Cruzeiro com a Rainha das Sete encruzilhadas, mais saibam que são duas entidades de muito respeito, mas bem distintas.

A Rainha do Cruzeiro governa com o Exu do Cruzeiro das Almas , todos os cruzeiros centrais do campo santo, onde são enviados todas aquelas entidades que querem fazer parte do reino dos exus e esperam a suas distintas colocações e seleção.

Para fazer parte deste povo maravilhoso, não basta querer, tem que merecer e ser capaz de assumir e cumprir todas as missões especificadas pelo astral médio e superior.


pomba gira do cruzeiro - Exu - Umbanda - Rainha- mulambo - padilha - caveira - zé pelintra

A Pomba-Gira do Cruzeiro trabalha para a Rainha das sete encruzilhadas, elas pertencem a mesma falange, mais suas funções se diferenciam no mundo astral.

A Rainha do Cruzeiro é uma pomba-gira muito exigente e muito fria no seu modo de agir, pois esta mais acostumada a lidar com espíritos mais perversos. Por isto quando chega no mundo, vem para brindar, e dançar, não gosta de muitas brincadeiras, faz a sua gira e já procura um lugar para sentar!

Quando simpatiza com alguém esta pessoa já tem sua proteção de graça, mais quando não gosta, faz questão de ignorar, mostrando que dela nada irão ter. Adora usar poucas roupas e insinuantes, mais quase sempre esta enrolada em uma capa de veludo preto e bordo.

Tem verdadeiro fascínio por perfumes e rosas vermelhas e brancas. Suas oferendas não podem faltar cigarrilhas e champanhes doces e caras. Conta a lenda que o Senhor das Encruzilhadas, quando chegou no mundo astral, pegou a gira do cruzeiro como companheira e ela lhe mostrou todo o astral inferior, e nestas andanças ao limbo ele encontra sua antiga mulher que era sua rainha na vida terrena a qual nunca esqueceu e então passou a cuida-lá.

Quando o Exú Mor nomeou o Senhor das Encruzilhadas em Rei das Sete Encruzilhadas,  ele ordenou que a Gira do cruzeiro tomasse conta do astral inferior lhe dando o título de Rainha do Cruzeiro e foi viver com sua antiga mulher no médio astral onde a titulou como Rainha das Sete encruzilhadas, dando a ela todos os poderes que a ele foi dado pelo o Exu Mor.

A Rainha do Cruzeiro se sentido abandonada pelo Exu Rei, resolveu formar seu próprio reinado e nomeou o Exu do Cruzeiro das almas como seu fiel escudeiro e namorado. Os dois juntos governam os reinos dos cruzeiros das almas, mais também recebem suas oferendas em encruzilhadas. É falso quando dizem que as duas rainhas é uma só ou que ambas se odeiam... São rainhas de reinos distintos que quando na terra muito se respeitam.

A Rainha do cruzeiro gosta de trabalhar para a sedução pois é uma pomba-gira muito sedutora, costuma se apresentar com cabelos loiros quase brancos, seus trajes são curtos e negros, trabalha para a guerra e amarração de casais que se amam, mais nunca peça a ela para separar um casal, pois ela se aborrecerá profundamente com quem for lhe pedir este intento!

O Candomblé que tem ligações com a Umbanda, também cultuam esses espíritos (eguns/entidades).

Sarava Pomba Gira Rainha do Cruzeiro!

Veja outras Histórias de Exú de Rua e Pomba Gira

Lenda que Oxóssi quebra o tabu e é paralisado com seu Ofá

Postado por: Alberto Ebomi at 16:38 0 Comentários
Conta a Lenda (pataki) que o Orixá Oxóssi quebra o tabu e é paralisado com seu (Ofá) arco e flecha, Oxóssi caçava todo dia, todo dia ia à mata (igbo / floresta) em busca de caça. mas tinha dia em que tudo era proibido, inclusive caçar.

Por esse tabu (ewó) as mulheres não vendiam no mercado, os homens não cultivavam os campos, os pescadores não pescavam, os guerreiros não guerreavam, os adivinhos não adivinhavam, Os ogãs sacrificadores não matavam as oferendas, os caçadores não caçavam.

Oxossi - Oshosi - Osoosi - Odé - inrile - inle - ketu - candomblé - Umbanda - akueran - efon - jeje - ifá - lenda tabu ewó

Era o grande dia das proibições (o dia do ewó/ não pode) ou era dia de euó. (leia aqui lenda de Oxossi é raptado por Ossain)

Oxóssi (Odé / caçador)  ia à mata todo dia para a caçar, Mas tinha um dia em que tudo era tabu. Oxóssi naquele dia não podia ir caçar.
Mas Oxóssi só pensava em si e contrariou as determinações de Olodumare.

Penetrou na floresta e pôs-se a lançar flechas indiscriminadamente e de repente, surgiu, diante dele uma fera, uma visão bestial, que Oshosi desejou ardentemente abater e antes que Oxóssi lançasse sua flecha, a besta transformou-se em Odudua (Oduduwa).

Osoosi  entendeu o sentido dos tabus daquele dia e o  caçador aterrorizado gritou petrificado, o arco esticado como se fosse atirar.

Ali ficou Oxóssi, o arco retesado, o gesto de ataque parado no ar, Ali ficou para sempre seu OFÁ, seu arco e flecha.

O ofá do caçador, o ofá do orixá.

Mais artigos sobre Orixá Oxossi (Odé)





 

Canticos de ketu para Oxossi – Exú e Ogum




Artigos populares
Culto afro brasileiro
Site Criado para divulgar a religião do Candomblé e a Umbanda, falando sobre Orixás, Entidades, Caboclos, Ifá, Cultura Afro-brasileira, para que os seguidores de nossa tão linda religião cada vez mais se enrriqueça de sabedoria e cultura. Axé para Todos!!!

Licença Creative Commons
Obra de divulgação, não deve ser comercializada de nenhuma forma. Não é permitido copiar artigos do blog sem a devida autorização do autor.

back to top