Órun – Ancestralidade (Eguns)

Postado por: Autor Ebomi at 23:40 1 Commentario
Falando de ancestralidade iremos comentar sobre ÓRUN,  é um dos Cultos mais secretos que existem, ele não tem culto no Candomblé. Está vinculado com Orixá IKÚ (a morte), capataz dos eguns. Alguns afirmam que o Culto e o sistema ORO foi tomado dos chamados EJIMERE.

Consiste no fundamento cuja carga é secreta, preparada pelos BABALAWÓS dentro de um porrão de barro negro do qual se sobressaem 9 ou 18 cawuries (búzios) segundo seja o fundamento, um caracol Cobo e em alguns casos a cabeça de dois bonecos, um Obini (mulher) e outro Okuni (homem), também fundamentados.

Orun - Eguns - Ancestral - Espíritos - baba egungun - egum


Outro dos elementos sagrados que acompanham a ORUN é um bastão (pagugú), um facão, uma telha (IKOKÓ AWADORONO KOLE UNORISHA) e um EXÚ de ORUN montado em uma pedra (otá) porosa ou de arrecife.

pagugu de Orun - eggun - espíritos

Um elemento fundamental do Culto a ORO (ORUN) é um pedaço de metal plano ou de uma madeira plana em forma de pé com uma larga corda que antigamente se atava a um poste. Quando o vento sopra esse objeto se move emitindo um som agudo chamado EJÁORO (o peixe). Essa mesma é a voz de ORO.



Entre os IJEBÚ e os EGBÁ, ORO é muito mais sagrado e importante que EGUNGUN, pois EGUNGUN é a representação de um único EGUN e ORO é o Capataz de todos eles. Nos tempos antigos, os membros da SOCIEDADE de ORO eram também os executores dos criminosos. Quando as pessoas eram condenadas a morrer pela corte OGBONI, eram os membros do Culto a ORO quem tinham que levar a cabo a sentença.

Quando Orun saía à noite, os que eram membros do Culto deviam permanecer dentro de casa e se saíssem estariam correndo risco de morte. Cada ano tem 7 dias para sua adoração. Durante todo o dia as mulheres ficam fechadas dentro de casa, exceto umas poucas horas que se lhes permitem procurar algumas provisões. No sétimo dia, nem isso se permite a elas e devem se manter rigorosamente fechadas dentro de casa.

O Culto a ORO se mantém vivo entre os BABALAWÓS de Rama Afro-Cubana, quem são os encarregados de jurar os homens que desejam possuir o fundamento de ORO, aqueles que pretendem ser OBÁ ENI ORIATÉ (Babalorixá) deverão, segundo as verdadeiras tradições, pertencer ao Culto de ORO, o qual os permitirá na hora de dirigir um ITUTO (Cerimônia Mortuária) fazê-lo com sapiência.

Os jurados ante o fundamento de ORO, logo depois de recebê-lo e passar por rigorosos rituais, se denominam OMO ORO e se lhes realiza um ITÁ com não menos de três BABALAWÓS por meio de ORUNMILÁ e recebem o ODÚ que os caracteriza dentro da SOCIEDADE ORO.


Compartilhe

SEJA UM ASSINANTE

Inscreva-se em nossa lista de E-mail. Totalmente livre de SPAM.

Um comentário:

  1. Eu sou omon abi iku, Babalorisa de Osalufon, com 49 anos de iniciado, fazendo 50 em Janeiro/2018; minhas mãos são ótimas para fazer nascer orisa, porém, um Nigeriano me disse que eu deveria ser Cultuador de Egungun. As declarações que recebo bem como informações são adversas, onde realmente está a verdade ou existe co-relação nos cargos, ou interligação. Orun teria a vez comigo?? É maravilhoso os segredos que tem o culto Africano.

    ResponderExcluir

Alguma dúvida?! Sugestão? Deixe seu comentário.

Artigos populares
Culto afro brasileiro
Site Criado para divulgar a religião do Candomblé e a Umbanda, falando sobre Orixás, Entidades, Caboclos, Ifá, Cultura Afro-brasileira, para que os seguidores de nossa tão linda religião cada vez mais se enrriqueça de sabedoria e cultura. Axé para Todos!!!

Licença Creative Commons
Obra de divulgação, não deve ser comercializada de nenhuma forma. Não é permitido copiar artigos do blog sem a devida autorização do autor.

back to top