Èsù e Orunmilá são muito amigos - Lenda

Postado por: Alberto Ebomi at 20:12 0 Comentários
 Èsù e Orunmilá são muito amigos, como conta nesta lenda e veremos a grande importância do Orixá Exú e Orunla dentro de toda espiritualidade.


A figura de Èsù é sempre representada nas bandejas (Ọpọn) yorùbá de adivinhação, é um símbolo da forte amizade entre Èsù e Orunmilá (Personal communication, May 2011 [com Fatokun Morakinyo].


Esu e Orunmilá - Orunla - Ifá - Exú - Eshu - Bara - Candomblé - Orixá



De acordo com O.I. Posogon e A.O. Akande em ( Ifá Divination Trays from Isale-Oyo).
- Está associação fica evidente no Odù Ogbè ‘fún.

  •     A narração do Odù é esta:

Ogbè devolva o que foi mantido sob sua custódia para o proprietário.


Não, eu não vou devolvê-lo.


A mesma adivinhação foi realizada para Èsù e todas as outras divindades que eram seus amigos.

Ele também fez adivinhação para Orunmilá e Èsù que eram amigos.

Segundo a história, um dia Èsù pensou que ele era o mais sábio entre todas as divindades. Ele tinha colocado todos eles em teste e todos falharam. Somente Orunmilá ainda não tinha sido testado.

Ele, portanto, decidiu aplicar em Orunmilá seu próprio teste.

Ele foi ao mercado e comprou um macaco (aaya). Ele amarrou o macaco com uma corda frágil. Depois disso, ele foi até Orunmilá com o macaco e perguntou a Orunmilá se ele poderia ajuda-lo a manter o macaco por um tempo, porque ele (Èsù) queria embarcar em uma longa viagem que levaria sete dias.

Orunmilá aceitou manter o macaco, mas pediu a Èsù para amarrá-lo a uma árvore na frente de sua casa. Èsù assim fez e saiu imediatamente.

Orunla rapidamente consultados Ifá para saber a intenção de Èsù. Ifá pediu-lhe para executar um sacrifício, com muitas bananas. Ele deveria levar o sacrifício em uma densa floresta. Orunmilá fez. Depois de concluído o sacrifício, ele descobriu que o macaco tinha arrebentado a corda e fugido.

Não muito tempo depois desta descoberta, Èsù voltou e informou a Orunmilá que ele já não iria mais viajar, ele, portanto, exigiu seu macaco de volta.

Orunmilá disse-lhe que o macaco tinha fugido. Èsù ficou furioso e começou a chorar. Orunla sabia que haveria problemas se ele não encontrasse o macaco. Levariam sete dias até as lágrimas de Èsù caírem no chão e uma vez que as lágrimas caíssem na frente da casa de Orunmilá, não haveria paz dentro e fora da casa de Orunmilá novamente.

Orunla rapidamente consultou o oráculo. O oráculo disse a Orunmilá para voltar onde ele largou o sacrifício e que neste mesmo ponto ele iria encontrar o macaco. Quando Orunmilá chegou ao ponto onde (na floresta), ele havia deixado o sacrifício, ele encontrou o macaco comendo as bananas. Ele pegou o macaco e o levou de volta para casa e entregou a Èsù.

Exú e Orunmilá


Orixá Exú ficou surpreso, pois, Orunla havia encontrado seu macaco e sair desta situação embaraçosa. Ele soube que havia uma divindade que poderia desmanchar sua intriga. A partir deste dia, ele prometeu ajudar Orunmilá em todos os seus empreendimentos. Desde então se tornou uma tradição a figura de Èsù fixada na principal posição da bandeja de adivinhação.


Èsù é indispensável na adivinhação, no ebo e na iniciação de cerimônias. Èxù Òdàrà é considerado o "pai" de todos os Èsù e representa a fertilidade, bem como a transformação. Conforme expresso pelo Áwo Falokun Fatunmbi:

Ifá está baseado no entendimento do Odù. Em Odù aprendemos que Èsù Òdàrà (O Mensageiro Divino), nasceu no Odù Òsétúrá. Exú Odará significa:


  • Espirito que traz divisão e é a fonte da fertilidade do universo.


Como fonte de fertilidade, Èsù tem o àse que abre a possibilidade para o Áwo ser possuído por todos os òrìsà, é desta forma que o Áwo pode se comunicar com todos os Orixás.

Por este motivo Èsù é chamado de Mensageiro Divino e é o décimo sétimo na ordem de antiguidade hierárquica. Ele é o primeiro Odù após os méjì.

Em Itelodu ele é invocado na cabeça do iniciado após os méjì. Isso faz os Odù méjì copularem na cabeça do iniciado no momento em que ele se torna Áwo (dai Èsù ser o símbolo da fertilidade). O processo libera os 256 Odù no Orí do Áwo dando o òfò àse (poder da palavra) para poder invocar e fazer òrìsà, desbloqueando a capacidade de um Áwo ser tomado por todos os òrìsà.

Este é o lugar aonde Èsù como "mensageiro divino da transformação" vem. Além disso, agora podemos entender por que Oxum é "mãe" de Èsù. A deusa da fertilidade gera a fonte de fertilidade. O que isto significa para os níveis cosmogônicos e metafísica é uma discussão dentro e de si mesma.

Há uma história sobre como Èsù e Orunmilá se tornaram tão bons amigos (Itọn - Histórias - são utilizados para explicar princípios metafísicos, bem como ensinar ética, história e iluminar a cultura).


Categorias: ,

Compartilhe

SEJA UM ASSINANTE

Inscreva-se em nossa lista de E-mail. Totalmente livre de SPAM.

0 comentários:

Alguma dúvida?! Sugestão? Deixe seu comentário.

Artigos populares
Culto afro brasileiro
Site Criado para divulgar a religião do Candomblé e a Umbanda, falando sobre Orixás, Entidades, Caboclos, Ifá, Cultura Afro-brasileira, para que os seguidores de nossa tão linda religião cada vez mais se enrriqueça de sabedoria e cultura. Axé para Todos!!!

Licença Creative Commons
Obra de divulgação, não deve ser comercializada de nenhuma forma. Não é permitido copiar artigos do blog sem a devida autorização do autor.

back to top